Açúcar adicionado faz mal – entrevista com dr Robert Lustig

Imagina um repórter esportivo entrevistar o Pelé. Deve ser uma baita honra!

Tive uma sensação parecida ao entrevistar o Pelé do estudo dos malefícios do açúcar, o pediatra dr Robert Lustig.

Além de levantar a bandeira sobre a epidemia de doenças metabólicas causadas pelo excesso de consumo de açúcar adicionado, ele já escreveu livros (“Fat Chance“),  participou de filmes (“Fed Up” – disponível aqui no Brasil no Netflix) e deu palestras memoráveis (como esta aqui: “Sugar – a bitter truth”).

Imagine só arrumar encrenca com os grandes da indústria alimentícia nos EUA. Pois é, é o que ele está fazendo.

Infelizmente ele ainda não é tão conhecido no Brasil, mas se você tiver a oportunidade de conhecer mais a fundo sobre o trabalho dele, recomendo. É um investimento de tempo na saúde de seu filho (e na sua própria saúde também).

Que o consumo de açúcar adicionado faz mal, está claro. Mas nesta entrevista que fiz com ele, o dr Lustig explica com uma didática impressionante que a obesidade não é a causa dos problemas metabólicos – é apenas uma consequência.

A real causa é…assista a entrevista: é imperdível.

Depois de ver a entrevista, não deixe de ler o que eu já escrevi sobre o assunto também.


Receba seu ebook grátis

Receba grátis ebook do pediatra dr Flávio Melo com 27 textos sobre os temas mais atuais, como H1N1, Zika, Imunidade e alimentação. São 160 páginas de conhecimento sobre como cuidar bem de seus pequenos. Basta deixar seu e-mail e clicar em "Eu quero"

Dr Flávio Melo - pediatra

Sou médico pediatra há 11 anos, formado em Medicina pela Universidade Federal da Paraíba e Pediatria no Instituto de Medicina Integral Fernando Figueira (IMIP/Recife-PE). Enxergo que o futuro da prevenção na criança, passa por uma atuação nos hábitos familiares e estilo de vida, desde antes do casal engravidar.

15 comentários em “Açúcar adicionado faz mal – entrevista com dr Robert Lustig

  • 2 de novembro de 2016 a 15:03
    Permalink

    Achei o vídeo ótimo e as perguntas também mas gostaria de dizer que o verbo ” think” no qual o perguntador repetiu inúmeras vezes precisa ser pronunciado corretamente. Eu sugiro que você escute como se pronuncia o “Th” em inglês porque parece que você estava dizendo ” I sink” o que e totalmente diferente de “I think”.

    Responder
    • 3 de novembro de 2016 a 07:50
      Permalink

      Sugestão anotada para próximos vídeos. Já pedi desculpas pelo “speaking” no vídeo que antecede a entrevista, que fiz na fanpage, reitero aqui. Não sou fluente.

      Responder
  • 4 de novembro de 2016 a 12:27
    Permalink

    Ótima entrevista, Dr. Flavio. Parabéns!!!
    Conheci o senhor através do blog do Dr. Souto, já dei uma procurada pelo seu site a respeito de substituição de fórmula láctea por leite cru e/ou comum mas não consegui achar.
    Minha sobrinha de 2 anos toma essas fórmulas lácteas indicadas pela pediatra e que contém xarope de milho (ou glicose, não lembro!), óleos vegetais e vitaminas. Pesquisei sobre um bom substituto para esse veneno o achei no site da Pat Feldman o uso de leite cru. Seria essa a melhor opção mesmo ou o leite integral atenderia? Ela come super bem, de tudo, só toma a noite um copinho antes de dormir.
    Agradeço se o senhor puder me orientar a respeito disso.

    Responder
    • 4 de novembro de 2016 a 13:31
      Permalink

      Leite integral, de preferência, tipo A, fluido. Se não encontrar, pode ser o UHT Tipo A (Leitíssimo é boa opção). Até 400ml/dia.

      Responder
      • 9 de novembro de 2016 a 17:24
        Permalink

        Muitíssimo obrigada pela rápida resposta.

        Responder
  • 14 de novembro de 2016 a 11:16
    Permalink

    Olá Dr Flávio,
    Aqui na minha cidade tem um terapeuta naturista, e algum tempo atrás meu irmão de 3 anos estava gripado com um pouco de febre, e o terapeuta ensinou misturar 250 ml de caldo de cana com 250 ml de mel de abelha e 30 ml de extrato de própolis e dar uma colher de chá 2x ao dia. E meu outro irmão de 6 anos tem um pouco de amigdalite e o terapeuta disse pra gente pegar um Sadol de 400 ml e adicionar 30 ml de extrato de própolis e duas sementes de sucupira bem amassadas, agitar e dar 2x ao dia também. Parece que essas fórmulas naturais fizeram algum efeito pois o meus irmãos melhoraram e um não teve mais inflamação nas amígdalas. Mas eu fico na dúvida se essa melhora deles foi devido a mudança da alimentação que fizemos ou se foi realmente o efeito dessas fórmulas. A minha pergunta é: O senhor acha que essas fórmulas de tratamentos naturais tem realmente algum efeito na imunidade e saúde em geral?
    Desculpe-me o comentário muito grande.

    Responder
    • 14 de novembro de 2016 a 16:15
      Permalink

      Eles melhoraram porque o vírus passou. Lambedores ou quaisquer outros remédios desse tipo ajudam a aliviar os sintomas, mas é o sistema imunológico que resolve o problema com o vírus e boa alimentação o reforça. Não existe mágica, nem mágicos nessas questões.

      Responder
  • 11 de janeiro de 2017 a 17:24
    Permalink

    Doutor, boa tarde!

    Uma criança que já tem mais que 2 anos… come de tudo (só agora q está na fase de recusar alguns vegetais), existe mesmo alguma necessidade de continuar com a bendita fórmula q é cheia de coisas q nem imagino o q seja ? Ou ele já pode largar isso e partir pro leite integral de vaca ?

    Sigo muito o doutor Souto, então é claro q evito, ao máximo, doces e coisas do tipo, posso dizer que a alimentação dele é só comida mesmo… ele adora ovo, carne, arroz…

    Responder
  • 20 de janeiro de 2017 a 23:41
    Permalink

    Ola Dr! Boa noite!
    O leite de vaca não deveria ser evitado por se tratar de um alimento causador de alergias? Aqui com uma bb de 8 meses APLV… por causa da alergia dela, pesquisei muito material e existem uma enorme parcela de médicos pediatras, alergistas, nutrologos e nutricionistas que abominam o uso do leite de vaca…

    Responder
    • 2 de fevereiro de 2017 a 08:49
      Permalink

      A ciência não corrobora a abominação por parte desses profissionais. A grande maioria não tem problemas com leite no que concerne à alergia.

      Responder
  • 28 de agosto de 2017 a 17:15
    Permalink

    Parabéns pelo seu trabalho e por divulgar assuntos tão importantes para a saúde das nossas crianças.
    Quanto ao seu “speaking”, penso que não é necessário ser fluente, basta saber se comunicar e o Sr. Fez isso muito bem!

    Responder
  • 29 de agosto de 2017 a 00:27
    Permalink

    Dr. Gostaria de saber sobre o suco de fruta para bebês, meu filho vai fazer 5 meses e o pediatra liberou uma vez ao dia e uma frutinha!!! Muito se fala sobre a frutose e fico perdida a respeito disso!!!

    Responder
    • 3 de setembro de 2017 a 20:46
      Permalink

      Recentemente a Academia Americana de Pediatria recomendou não dar suco de frutas para menores de 1 ano e limitar em idades maiores. Publicarei algo sobre o tema no futuro.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *