Choking Game: converse com seu filho, antes que seja tarde.

Com certeza essa notícia mexeu com o psicológico de várias famílias no dia de hoje. A morte do garoto Gustavo, de 13 anos, encontrado enforcado no último sábado, após um perigoso jogo de sufocação, chamado de Choking Game, após uma sessão de jogo online, nos traz medo e estupefação.

É bastante comum que os adolescentes sejam desafiadores de várias maneiras, mas essa atitude do menor, ocorrida no último sábado, no litoral de São Paulo, se torna ainda mais trágica, quando sabemos que essa ocorreu em virtude de um dito jogo do estrangulamento. As consequências graves falam por si só e a popularidade, antes só nos Estados Unidos, hoje já começa a tomar força no país.

Chegou a hora de você conhecer a fundo o que é, o risco que este representa e repassar esse informação à todos os amigos, escolas e literalmente viralizar a informação nas redes sociais.

Choking Game ou Jogo do Estrangulamento: o que é?

Não é uma novidade a prática do Choking Game no Brasil. Aqui e acolá, você ouvia falar de uma brincadeira, na qual através de um abraço muito apertado, uma compressão excessiva no tórax ou literalmente um estrangulamento, crianças ou adolescentes terminavam desmaiando e relatavam sensações diferentes no momento do ocorrido, como um estado de euforia, por conta da diminuição da oxigenação cerebral.

Como o advento das redes sociais, o problema, como sabemos, foi se tornando mundial e é bastante fácil encontrar vídeos no YouTube onde os adolescentes se exibem e você pode entender os riscos e possíveis consequências do problema.

E a questão se tornou um caso de saúde pública nos Estados Unidos, o que levou as autoridades da Academia Americana de Pediatria a emitir um alerta para os pais e para os médicos sobre os riscos e a sua prevenção. O fenômeno se torna ainda maior e mais arriscado, quando adolescentes, como o caso no Brasil, resolvem praticar o jogo com a ajuda de uma corda, se exibindo para os colegas via webcam.

Um problema que está se tornando mundial

Há relatos de mortes pelo Choking Game nos Estados Unidos, Canada, Austrália, Israel, França, Inglaterra, Irlanda e Arábia Saudita. Creio que essa é a primeira vez que um caso de morte no Brasil vem a tona. A primeira referência ao jogo na literatura médica ocorreu no ano de 2000, mas desde então os casos vem se multiplicando e as consequências preocupando cada vez mais as autoridades médicas.

Em 2008, uma pesquisa realizada no estado americano do Oregon, em escolas públicas, com cerca de 10 mil escolares (média de 13,7 anos), revelou que:

  • 73% responderam às questões sobre o Choking Game
  • 36% tinham ouvido falar
  • 30,4% conheciam alguém que tinha participado
  • 5,7% tinham participado do jogo
  • A participação foi mais frequente nos que tinham fatores de risco para problemas mentais, abuso de substâncias, ou ambos

O que atrai o adolescente para o Choking Game?

Os comportamentos de grupo próprios da adolescência atraem o adolescente para o jogo, por pressão do grupo, comportamento de atração ao risco e a possibilidade de uma sensação de bem estar sem o consumo de drogas. O comportamento normalmente começa em grupo e pode progredir para ações individuais, como a que ceifou a vida do adolescente em São Vicente.

Os estudos revelam dois tipos de adolescentes mais predispostos ao “jogo”:

  1. Adolescentes atléticos e com desempenho escolar médio ou abaixo da média, que evitam o uso de drogas e álcool. Eles normalmente buscam as sensações que ouvem falar dos amigos que o jogo causa.
  2. Adolescentes com acesso limitado à drogas e álcool que buscam na atividade uma forma de aliviar seus problemas, como ansiedade e depressão.

Quantas vidas já se perderam com o Choking Game?

Como esse ainda é um problema relativamente novo, não temos números no nosso país, mas o Estados Unidos já conseguiu demonstrar alguns dados assustadores, dando conta que a mortalidade pelo Choking Game (EM VERMELHO), com 82 mortes, é concentrada na faixa etária de 11-14 anos, diferentemente da causada por suicídios por estrangulamento (EM AZUL), mais frequentes em adolescentes de maior idade. Veja o gráfico abaixo:

 

captura-de-tela-2016-10-17-as-16-10-35

Quais os sinais de alerta que você deve observar no seu filho?

  • Atente-se se ele já mencionou o nome Choking Game ou Jogo do estrangulamento
  • Curiosidade sobre asfixia
  • Manchas roxas inexplicadas ou marcas vermelhas no pescoço
  • Uso de roupas de gola, mesmo em clima quente
  • Olhos vermelhos ou manchas sanguíneas em torno dos olhos
  • Petéquias na face, especialmente ao redor dos olhos
  • Dores de cabeça frequentes e muito fortes
  • Desorientação após ficar algum tempo trancado
  • Necessidade fora do comum de privacidade
  • Irritabilidade ou hostilidade incaracterística
  • Presença de cordas, coleiras no quarto
  • Presença no histórico de internet de buscas ou vídeos mencionando o Choking Game

O alerta necessário

É preciso que você converse com seu filho sobre o problema, colocando para ele todos os riscos envolvidos, a gravidade das consequências e mantenha uma atitude de apoio, mas sem descuidar da vigilância, caso perceba alguns dos sinais acima. Procure ajuda médica e psicológica ao perceber que ele está envolvido com um grupo que estimula o jogo e tente conscientizar o máximo de pessoas contra essa brincadeira macabra, que caso não seja coibida, ainda causará a morte de inocentes e destruirá famílias em todo o mundo.

choking-game

 


Receba seu ebook grátis

Receba grátis ebook do pediatra dr Flávio Melo com 27 textos sobre os temas mais atuais, como H1N1, Zika, Imunidade e alimentação. São 160 páginas de conhecimento sobre como cuidar bem de seus pequenos. Basta deixar seu e-mail e clicar em "Eu quero"

Dr Flávio Melo - pediatra

Sou médico pediatra há 11 anos, formado em Medicina pela Universidade Federal da Paraíba e Pediatria no Instituto de Medicina Integral Fernando Figueira (IMIP/Recife-PE). Enxergo que o futuro da prevenção na criança, passa por uma atuação nos hábitos familiares e estilo de vida, desde antes do casal engravidar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *