Devo comer peixe na gravidez?

Meus amigos, o mundo, definitivamente, está meio estranho! Me deparo com esse estudo publicado na revista JAMA Pediatrics, sobre a associação entre comer peixe na gravidez e maior peso e taxas de crescimento na prole.

Logo depois chegam os talebãs do instagram e seu terrorismo nutricional: um dia pode, outro não pode, um dia é a salvação, no outro é a morte…

E daí lemos suas chamadas sensacionalistas:

– Peixe não pode na gravidez!

– Engorda as crianças!

– São venenosos e cheios de mercúrio!

Calma, comer peixe continua sendo bom

Vou destrinchar rápido:

O estudo acompanhou a variação de peso e IMC entre os pacientes participantes: filhos de mais de 26 mil mulheres, acompanhados em intervalos de dois anos até os seis anos de idade.

Concluiu-se que os filhos de mulheres que comiam peixe mais de 3x por semana durante a gravidez, teriam uma diferença positiva entre 5 e 22% na variação do peso, quando comparados aos das mães que consumiam menos de 3x por semana.

Para a amostra escolhida, esta é uma diferença estatisticamente insignificante quando olhamos em termos absolutos. Imagine dois bebês, um com aumento de um quilo de peso e o outro com 1,05 ou até mesmo 1,22 quilo depois de 6 anos. Será mesmo que um bebê que ganhou 220 gramas a mais em tal intervalo tem maior risco de obesidade? Claramente não!

Sim, às vezes diferenças percentuais enganam muito. Fique ligado!

Detalhe: o ganho de peso foi estimado por um modelo estatístico, que poderíamos chamar pelo nome popular vidência. Por quê? Simplesmente porque as crianças não foram pesadas ao longo de todo o estudo: foi feita uma previsão a partir dos pesos que obtiveram em medidas esparsas.

E você que tem mais de um filho que não são gêmeos idênticos já sabe, crianças não crescem iguais, afinal, não são robôs. Além disso, o crescimento não é linear durante toda a infância.

Outra coisa, ganhar peso não significa ganhar gordura e não foram feitas estimativas de composição corporal. Simplesmente eles podem ter maior peso porque tem mais músculos, ora! E qual a dieta dessas crianças e os outros inúmeros fatores de estilo de vida, doenças intercorrentes, etc.????

E sobre o veneno?

Bem, os autores citaram no texto os riscos do consumo excessivo de peixes e exposição à disruptores endócrinos e mercúrio, porém nunca foi demonstrado com um estudo sério esses efeitos com um consumo normal (afinal, quantas vezes por semana você consome?).

Pior: todos os milhares de estudos que acompanharam populações que consomem peixe, associam este à menor mortalidade, morbidade e melhores indicadores de saúde (olá, Dieta Mediterrânea! Bonjour Dieta Paleo! Ou qualquer outra que você prefira que tenha peixes).

Portanto, direto e reto. Gestantes: comam peixe, preferivelmente os do mar, preferivelmente frescos, mas bem passados, de espécies variadas, até 3 vezes por semana. Ou você vai preferir trocar uma bela posta de meca no azeite, por um Cheeseburguer?


Receba seu ebook grátis

Receba grátis ebook do pediatra dr Flávio Melo com 27 textos sobre os temas mais atuais, como H1N1, Zika, Imunidade e alimentação. São 160 páginas de conhecimento sobre como cuidar bem de seus pequenos. Basta deixar seu e-mail e clicar em "Eu quero"

Dr Flávio Melo - pediatra

Sou médico pediatra há 11 anos, formado em Medicina pela Universidade Federal da Paraíba e Pediatria no Instituto de Medicina Integral Fernando Figueira (IMIP/Recife-PE). Enxergo que o futuro da prevenção na criança, passa por uma atuação nos hábitos familiares e estilo de vida, desde antes do casal engravidar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *