Vitamina C e resfriados: razão (ciência) versus emoção (placebo)

 

 

A ciência (séria) mostra que vitamina C suplementada não funciona para prevenção ou tratamento de resfriados e gripes. Sim, tudo que você ouviu até hoje era pura lenda urbana. Mas calma, que neste post vou te mostrar outras formas comprovadas de melhorar nossa resistência.

Não passa sequer um dia em minha prática clínica, sem que um familiar me conte que está dando vitamina C suplementada para seu filho, para prevenir ou tratar o resfriado comum ou gripes.

Frequentemente essa orientação parte desde profissionais da saúde, até o pipoqueiro da esquina, ou seja, é praticamente uma lenda urbana.

Sempre explico com paciência que não há nenhum estudo que comprove que para a população geral, exista efeito dessa prática. Por mais que se saiba que o uso desse suplemento, em pequenas doses, não traz riscos, o desperdício financeiro e a exposição à corantes e excipientes em suas formulações não devem ser ignoradas.

Na maioria das vezes, é bom para quem o vende.

Neste estudo de revisão sobre prevenção e tratamento do resfriado comum, publicado no Canadian Medical Association Journal, em 2014, fica bastante claro que o uso de vitamina C suplementada na prevenção e tratamento dos resfriados não tem suporte da ciência.

Em uma análise de 29 estudos de boa qualidade, com cerca de 12.000 participantes no total, não se demonstrou nenhum efeito da vitamina C como preventivo, a não ser nos indivíduos que praticam atividade física extenuante.

Também não se demonstra nenhum efeito no tratamento.

Se a vitamina C não funciona, o que pode ser feito?

Bem, do ponto de vista da ciência, em relação à prevenção, há eficácia de medidas de proteção:

  • Lavar as mãos.
  • Suplementação de zinco para aqueles com baixa ingestão (prefiro através da comida).
  • Suplementação ou ingestão de alho.

Quanto ao tratamento:

  • Hidratação.
  • Zinco.
  • Anti-térmicos e analgésicos com moderação.
  • Mel para maiores de 1 ano.
  • Algumas opções farmacológicas para casos selecionados, é o que a ciência nos oferece.

Antibióticos, obviamente, além de não terem nenhum efeito, fazem mal!

E agora, ficamos com o quê? Para a maioria, com o que a vovó dizia: muita água e frutas (hidratação), gargarejos, limpeza nasal, lambedor (sem mel para os menores de 1 ano, com mel para os demais) e uma canja bem caprichada, com carnes e arroz (sim, tem Zinco!).

Como dizia Hipócrates, faça do teu alimento o teu medicamento.

 


Receba seu ebook grátis

Receba grátis ebook do pediatra dr Flávio Melo com 27 textos sobre os temas mais atuais, como H1N1, Zika, Imunidade e alimentação. São 160 páginas de conhecimento sobre como cuidar bem de seus pequenos. Basta deixar seu e-mail e clicar em "Eu quero"

Dr Flávio Melo - pediatra

Sou médico pediatra há 11 anos, formado em Medicina pela Universidade Federal da Paraíba e Pediatria no Instituto de Medicina Integral Fernando Figueira (IMIP/Recife-PE). Enxergo que o futuro da prevenção na criança, passa por uma atuação nos hábitos familiares e estilo de vida, desde antes do casal engravidar.

24 comentários em “Vitamina C e resfriados: razão (ciência) versus emoção (placebo)

  • 23 de maio de 2016 a 14:20
    Permalink

    Dr. Em que o mel ajudaria? e de que forma?

    Responder
    • 23 de maio de 2016 a 16:38
      Permalink

      O mel ajuda a formar uma camada protetora nas vias aéreas, impedindo o contato das terminações nervosas expostas pelo processo inflamatório com o muco, que desencadeia a tosse.

      Responder
  • 24 de maio de 2016 a 06:12
    Permalink

    Estou dando 8 gotas de vitamina D meu filho, ele tem 13 anos. Não consegui vacinar ele é também aqui na cidade a vacina já esgotou. Ele também alérgico a ovo desde bebê, mas tem 6 meses que está tolerando ovo cozido. Parabéns pelo blog.

    Responder
    • 24 de maio de 2016 a 07:40
      Permalink

      Obrigado, realmente na adolescência, a necessidade de vitamina D é maior. Mas não custa levar o rapaz um pouco pro sol, se possível.

      Responder
  • 27 de agosto de 2016 a 03:02
    Permalink

    Dr. Minha bebê tem três meses e vinte e cinco dias, o pediatra disse que ela está com resfriado mas receitou predsim por cinco dias, dei um dia e estou com receio desse medicamento posso interromper o uso? Ou preciso dar pelo tempo prescrito? Obrigada e parabéns pelo seu trabalho.

    Responder
    • 27 de agosto de 2016 a 11:23
      Permalink

      Infelizmente não tenho como fazer orientações sobre casos individuais à distância. Em alguns casos de infecções virais, indicamos por curto espaço de tempo os corticóides.

      Responder
  • 4 de outubro de 2016 a 20:40
    Permalink

    Dr, e com relação a suplementação de ferro ?? É realmente necessário? ? Eu evito com muito custo dar medicamentos ao meu bebê (os parentes aqui dão pitacos demais) prefiro alimenta-lo bem. A pediatra aqui receitou Neutrofer Prev, dos 7 meses a dois anos de idade. Eu só dei durante um mês. Não sei se estou fazendo certo?!! E parabéns pelo brilhante trabalho.

    Responder
  • 8 de outubro de 2016 a 21:57
    Permalink

    Olá Doutor, aguardo sua resposta !

    Responder
  • 16 de março de 2017 a 09:24
    Permalink

    Dr. o que é lambedor (sem mel para os menores de 1 ano, com mel para os demais)?

    Responder
  • 16 de março de 2017 a 09:27
    Permalink

    Dr o meu bebê tem quase 1 ano e 4 meses ele toma suplemento vitamínico (growvit bebe) e de ferro desde o nascimento. Ele nasceu prematura de 31 semanas. Fico com dúvidas se ainda precisa mas a pediatra diz que ele não tem muitas reservas e que precisa até os 2 anos. Fico com medo dessa exposição a corantes.

    Responder
  • 2 de abril de 2017 a 12:46
    Permalink

    Olá doutor, parabéns pelas postagens! Sempre bom ler informações atualizadas sobre o cuidado com nossos pequenos. Ao mesmo tempo é muito triste perceber que uma grande parte dos pediatras não se atualizam e continuam prescrevendo e passando informações obsoletas, triste realidade
    Tenho lido vários artigos que falam a respeito dos benefícios da suplementação com vitamina D, já que a exposição ao sol está cada vez menor, dentre os benefícios estaria o aumento da imunidade, gostaria de saber sua opinião a respeito de suplementar crianças com vitamina D.
    Muito obrigada

    Responder
  • 15 de junho de 2017 a 11:15
    Permalink

    Fiz a inscrição para receber o e-book, mas não o recebi. Existe algum link para baixá-lo?

    Responder
  • 15 de junho de 2017 a 13:53
    Permalink

    Quantas vezes ao dia podemos dar mel a criança?

    Responder
  • 13 de julho de 2017 a 13:36
    Permalink

    Doutor, além de lindo, muito inteligente e simpático. Fora que é meu conterrâneo! PARABÉNS POTÊNCIA.

    Responder
  • 16 de julho de 2017 a 13:42
    Permalink

    Oi doutor meu bebe tem 2 meses e ta com tosse gripe catarro faço inalação com soro uso salsep e nao vejo resultado nenhum ja faz uma semana todo medico q vou dizem q tenho q continuar fazendo a inalação nao ta sendo nada facil ver meu bebe assim

    Responder
  • 23 de novembro de 2017 a 20:30
    Permalink

    Olá, gostaria de saber qual suplementação de vitamina é necessária a um bebê saudável , aos seis meses ? É necessário manter doses diárias de vitamina D? Inserir complexo vitamínico? Vitamina C ? Ácido fólico e ferro? Obrigada desde já

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *