Vitamina D e autismo

Tradução do site Medical Express, sobre um estudo que acrescentou evidências à relação entre Vitamina D e autismo, no período da gestação.

Pesquisadores do Instituto do Cérebro de Queensland, da Universidade de Queensland, descobriram uma ligação entre a deficiência de vitamina D na gravidez e os traços aumentados de autismo.

O estudo, liderado pelo pesquisador John McGrath e envolvendo o Dr. Henning Tiemeier do Centro Médico Erasmus da Holanda, descobriu que as mulheres grávidas com níveis baixos de vitamina D com 20 semanas de gestação eram mais propensas a ter uma criança com traços autistas na idade de seis anos.

Vitamina D baixa na gestação pode causar problemas neurológicos

“Este estudo fornece mais provas de que a baixa vitamina D está associada com distúrbios do desenvolvimento neurológico”, disse McGrath. “Assim como a ingestão de folato na gravidez reduziu a incidência de espinha bífida, o resultado deste estudo sugere que os suplementos pré-natais de vitamina D podem reduzir a incidência de autismo”.

Embora seja amplamente conhecido que a vitamina D é vital para a manutenção de ossos saudáveis, existe agora um corpo sólido de evidências que o ligam ao crescimento cerebral. A vitamina D geralmente vem da exposição ao sol, mas também pode ser encontrada em alguns alimentos e suplementos.

Como foi o estudo?

O estudo examinou cerca de 4200 amostras de sangue de mulheres grávidas e seus filhos, que foram monitorados de perto como parte do longo prazo no estudo “Geração R” em Roterdam, Holanda. “Esta pesquisa poderia ter implicações importantes de uma perspectiva de saúde pública”, disse McGrath. “Não recomendamos mais exposição ao sol, devido ao aumento do risco de câncer de pele em países como a Austrália.

“Em vez disso, é possível que um suplemento de vitamina D seguro, barato e acessível ao público em grupos de risco possa reduzir a prevalência desse fator de risco”.



Receba seu ebook grátis

Receba grátis ebook do pediatra dr Flávio Melo com 27 textos sobre os temas mais atuais, como H1N1, Zika, Imunidade e alimentação. São 160 páginas de conhecimento sobre como cuidar bem de seus pequenos. Basta deixar seu e-mail e clicar em "Eu quero"

Dr Flávio Melo - pediatra

Sou médico pediatra há 11 anos, formado em Medicina pela Universidade Federal da Paraíba e Pediatria no Instituto de Medicina Integral Fernando Figueira (IMIP/Recife-PE). Enxergo que o futuro da prevenção na criança, passa por uma atuação nos hábitos familiares e estilo de vida, desde antes do casal engravidar.

3 comentários em “Vitamina D e autismo

  • 23 de fevereiro de 2017 a 13:17
    Permalink

    Boa tarde Dr. Flavio. Posso suplementar com Vitamina D3 para minhas filhas? E qual Ui recomendada? Eu uso 20.000Ui e será que posso da as elas essa quantidade?

    Responder
    • 23 de fevereiro de 2017 a 14:01
      Permalink

      Olá, não posso fazer esse tipo de recomendação à distância, o pediatra delas precisa avaliar a quantidade que elas precisam. 20.000UI é um dose que não é recomendada para crianças, sem verificar quais os níveis sanguíneos.

      Responder
  • 27 de abril de 2017 a 11:57
    Permalink

    Bom dia, Dr. Flávio
    Poderia me ajudar. Pelo seu estudo ao artigo, a quantidade de 5000 ui de vitaminda d3 para gestantes é muito? Sei que a maioria dos obstetras pensam assim. Mas gostaria de saber do sr., pois segue a dieta paleo e acompanha os estudos de alta qualidade.
    Grata, Adrielle

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *