Socorro! Tivemos um bebê e viramos zumbis! (Parte 3)

 

 

Nest post você vai conhecer a técnica da escada do sono, descrita no livro “The Happy Sleeper”. Com o tempo, pode ajudar muito a ensinar o bebê a se auto acalmar e ter um sono tranquilo.

Será que é possível “ensinar” seu bebê a dormir antes dos quatro meses de idade?

Eu sei que vocês “sonham”, acordados e acabados, todas as noites com isso.

Se você leu a primeira parte, entendeu porque não é fácil.  Na segunda parte, os requisitos para começar o processo de treinamento.

E agora, vamos para a prática!

Recapitulando por que é complicado

Bem, antes disso, deixo claro: a maioria da literatura sobre o assunto reitera a dificuldade de treinar bebês menores de quatro meses a dormir, por vários motivos:

– Imaturidade da liberação do hormônio do sono, a melatonina;

– A fase das cólicas (isso é assunto para outra série de posts);

– As dificuldades iniciais com alimentação (para um bom sono o bebê precisa estar se alimentando bem e crescendo);

– O grande salto de crescimento e o rápido desenvolvimento do nascimento até os 4 meses, pois imagine que em média, o bebê dobra o peso de nascimento aos 4 meses!

– Os outros problemas: o refluxo e a doença do refluxo gastroesofágico, a disquezia do lactente, aquele bebê que se espreme até dormindo, a aerofagia dos bebês que tomam mamadeira e engolem muito ar.

Esses problemas precisam ser avaliados e possivelmente contornados nas consultas pediátricas de rotina.

Eles ficam insaciáveis, cada vez mais ativos e interessados no ambiente externo. Igualzinho quando você compra um celular novo.

Tudo isso definitivamente atrapalha a rotina do bebê e causa certa perturbação, mas tem algumas formas de começar a treiná-lo que, com consistência e paciência, podem começar a surtir efeito e prepará-lo para ser um futuro Morfeu… (meio exagerado,não?!?!?!)

Repito: rituais são importantes

Como já sabem, o sono tem rotina, melhor dizendo, o sono tem rituais e “apetrechos”, necessita de um ambiente tranquilo, com temperatura e cheiros agradáveis e escuridão total!

Quanto aos “apetrechos”, quem não tem seu travesseirinho preferido, mesmo que seja puído e malcheiroso? E os ursinhos, bonequinhas, paninhos, fraldinhas e etc.?

Todos servem para nos acalmar e permitir transições suaves entre as fases de superficialização e aprofundamento do sono.

Você não percebe isso em você(s)? Claro, você(s) não dorme(m)!!!! (tem que rir para não chorar).

Seu bebê inicialmente “elege” como objeto de referência você e o peito. Isso é lógico e saudável. Mas se você não segue o que te orientei no segundo post da série, e deixa o bebê adormecer no peito, ele sempre buscará você e o peito como objetos de referência, ao superficializar o sono.

Portanto, sempre tente perceber quando o bebê não está mais sugando (dizemos que está “chupetando”) o peito e suavemente retire. Se estiver sonolento, coloque um tempinho para arrotar e leve-o pro berço. Se ele resmungar, fique por perto, fale com voz suave – não precisa ser com a voz da Peppa Pig – e veja se ele consegue adormecer.

Se ao sair do peito ele chora forte e volta a mamar com toda força, repita a retirada depois de algum tempo, mas sempre contando até dez, depois até 15, depois até 20 para ver se ele se acalma e pode ser colocado no berço.

Outra dica legal dos livros sobre o tema, é tentar estabelecer uma rotina de sonecas diurnas, sem deixar que o bebê fique acordado por mais de 90 minutos. Claro que a amamentação é livre demanda, mas com o tempo e a consistência a tendência é ele absorver a rotina de banhos, mamar e sono.

Você tem que conhecer “a escada do sono”

Conheça a escada do sonoOutra dica muito boa é a tática da escada, que é explicada no livro “The Happy Sleeper”, ainda não lançado no Brasil.

Toda vez que for colocar seu bebê para dormir, siga esses passos sequenciais, como se estivesse descendo uma escada (cada passo é um degrau):

1. Entrar no quarto com luz mínima.

2. O som suave da sua voz (shshshshsh, falando de leve, cantando de leve).

3. Trocar, recolocar a fraldinha (objeto de referência, chupeta – sim, só pra acalmar).

4. Tocar de leve o bebê, alisar a cabeça ou a barriga.

5. Balançar de leve o berço.

6. Pegar o bebê e balançar no braço até acalmar, sem adormecer.

7. Alimentar.

Cada vez que ele acordar no meio da noite, você imagina essa escada e fica entre 15 a 30 segundos em cada degrau.

A tendência é que ao longo do tempo ele vá se acalmando e até aprenda a se auto acalmar no primeiro degrau, desde que não precise se alimentar mesmo. Lembrando que em torno dos 4 meses e entre 5 e 6 quilos de peso, a maioria pode ficar quase a noite toda sem comer.

Bem, essas são as dicas para os menores de 4 meses.

No próximo post, o treinamento de guerra (brincadeira), para fazer seu bebê entre 4 meses e 2 anos dormir, nem que seja à base de … (de jeito nenhum!!!)

Compartilhem à vontade!


Receba seu ebook grátis

Receba grátis ebook do pediatra dr Flávio Melo com 27 textos sobre os temas mais atuais, como H1N1, Zika, Imunidade e alimentação. São 160 páginas de conhecimento sobre como cuidar bem de seus pequenos. Basta deixar seu e-mail e clicar em "Eu quero"

Dr Flávio Melo - pediatra

Sou médico pediatra há 11 anos, formado em Medicina pela Universidade Federal da Paraíba e Pediatria no Instituto de Medicina Integral Fernando Figueira (IMIP/Recife-PE). Enxergo que o futuro da prevenção na criança, passa por uma atuação nos hábitos familiares e estilo de vida, desde antes do casal engravidar.


Warning: mysqli_num_fields() expects parameter 1 to be mysqli_result, boolean given in /home/storage/7/aa/2b/pediatradofuturo/public_html/wp-includes/wp-db.php on line 3215

7 comentários em “Socorro! Tivemos um bebê e viramos zumbis! (Parte 3)

  • Pingback: Seus filhos não desgrudam do celular? - Pediatra do Futuro

  • 6 de junho de 2016 a 10:03
    Permalink

    Minha bebê tem um ano e quatro meses. Mama em livre demanda, não somos adeptos do deixar chorar. O problema é que acorda de duas a três vezes à noite, às vezes com intervalo menor do que três horas. Como vou dormir tarde e preciso levantar muito cedo, está dificílimo. A pediatra diz que está normal para a idade e recomenda esperar até os dois anos para que ela entenda melhor os combinados. O revesamento com o marido funciona pouco, porque ela sempre requer o peito. Dorme pouco de dia, desde sempre, está naquele grupo que dorme abaixo da média e fica super bem com isso. Pensei em tentar usar a dica da escada para os episódios de acordadas noturnas. Ela dorme em um colchão no chão, não dá para balançar antes de pegar no braço. Para dormir, ainda é no peito, dorme mamando no próprio quarto, no colchão, com luz bem reduzida, quase escuro, depois do banho pós-jantar. Você teria mais dicas gentis para tentar ajudá-la a voltar a dormir sozinha? Obrigada, gostei muito do blog!

    Responder
  • 20 de fevereiro de 2017 a 22:18
    Permalink

    Olá Flávio, ótimas dicas e ensinamentoes, nosso bebê tem dez meses, nasceu prematuro com 35 semanas, e Aplv, então já estamos com um histórico bastante turbulento! Em relação ao sono, ele sempre foi regular, após os três meses acordava uma vez a noite no máximo duas. Isso só até os nove meses, depois desse período ele passou a ter um sono bem irregular, após as quatro da manhã acorda e só volta a dormir na nossa cama. Após um infecção viral deixamos dormir na cama por alguns dias, para monitoramos a
    Febre, depois disso, ele acorda a noite toda, cinco, seis, oito vezes, acorda irritado e já estamos esgotados, por isso, vamos seguir à risca suas recomendações! Obrigado e boa noite!

    Responder
  • 23 de fevereiro de 2017 a 13:53
    Permalink

    Minha bebé tem 8 meses e acorda cerca de 3_4x a noite é só para o choro quando coloco no peito. Em algumas vezes noto que ela nem mama mas na maioria ela mama bem e dorme de novo. Apesar dos 8 meses ela está tendo dificuldade na introdução alimentar e ainda não come quase nada. Nossa conquista diária é pouca. Será msm p se alimentar? Ela dorme cmg e pai/filho no msm quarto. Estou pensando em ir p outro quarto p tentar tirar o peito a noite e tentar acalmar ela sem o peito.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *