Socorro – meu filho pode ter convulsão febril?

De 2 a 4% das crianças tem convulsão febril. Portanto, se seu filho está com febre, entrar em pânico mais atrapalha do que ajuda. Leia este post e veja opções do que fazer

Pois saiba, convulsão febril é para quem pode e não para quem quer. Já explico.

Por que os pais têm um medo tão grande da febre?

Toda vez que pergunto a pais porque tem medo de febre, a resposta sempre é a mesma:

“- Doutor, morro de medo dele ter uma convulsão!”

Isso significa que toda vez que o menino tem febre, não dorme pai, nem mãe, menino, cachorro… 

Nem dorme o pediatra se brincar!

Porque se verifica a temperatura a cada 5 minutos, remédio a cada quatro horas fixo, banho, envoltório, mil whatsapps, saem correndo de madrugada pro hospital para fazer injetável (99,9% das vezes não precisa), o menino fica igual uma múmia na chuva, tremendo de frio e está instalado o caos!

Tudo isso por medo de uma convulsão que ocorre somente em cerca de 2 a 4% das crianças entre 3 meses e 5 anos de idade, se forem predispostas geneticamente ou pegarem o vírus “errado”, na hora errada.

Leia esta lista e saiba tudo sobre convulsão febril

O que vou escrever abaixo é tudo o que você precisa saber sobre convulsão febril para não tornar a sua casa, nem a vida do seu filho, um terror, quando ele estiver com febre:

1. Como já coloquei acima, estatisticamente a chance do seu filho ter febre e convulsão febril (CF) é baixa! De cada 100 crianças, apenas 2 a 4 poderão ter CF na vida e 96 a 98 nunca terão, mesmo que a febre seja aquela que dá para fritar um ovo na barriga ou estourar o termômetro!

2. Convulsão febril não mata. Pode até matar o pai ou a mãe do coração, mas definitivamente não há relatos de morte por convulsão febril simples. Aí você fala:

“- Dr. Flávio, tenho uma conhecida que o menino teve febre, vomitou sem parar, em jato, com dores fortíssimas de cabeça, não conseguia olhar para a luz, e depois morreu”. Aí não é convulsão febril, aí é meningite! CF é febre, convulsão e pronto!!

3. Não precisa fazer Eletroencefalograma para investigar convulsão febril! Não sou eu que estou dizendo, são todos os artigos científicos e revisões mais recentes.

“- Ah, doutor, todo médico pede…” Beleza, pode até pedir, você pode até fazer, mas não ajuda em nada, nem muda a conduta. O mesmo para Tomografia.

4. Medicar excessivamente para febre não evita a convulsão. Isso não significa que não deve medicar para a febre. Explicar as opções, prescrever as doses corretas e intervalo de administração é tarefa do pediatra e não da vizinha, do Dr. Google ou da sua cabeça em desespero.

Também não precisa correr para emergência toda vez que o menino tem febre, isso não vai evitar nada e vai criar um ser totalmente traumatizado!

5. Dar anticonvulsivantes, especialmente os contínuos, não é recomendado na grande maioria dos casos. Você vai ter literalmente um pequeno “noiado” na sua casa, sem que isso evite ou amenize qualquer coisa. Em casos muito especiais, o seu pediatra, em concordância com o neuropediatra, pode optar por usar uma medicação preventiva, normalmente de uso somente no período febril. Mas é uma exceção!

6. O risco de uma criança que teve convulsão febril desenvolver convulsões afebris/epilepsia, é quase o mesmo da população geral, portanto, não precisa aposentar o menino, deixá-lo amarrado na areia da praia e impedir ele de brincar até de jogo de botão (fui longe…), por causa do problema.

7. Pra quem a conversa muda: convulsões sem febre; convulsões em menores de 1 ano; convulsões prolongadas, graves que levaram à UTI; convulsões com febre, vômitos e dores fortíssimas de cabeça; parentes de primeiro grau com história de convulsão.

“- Ah, doutor, meu filho já teve convulsão, foi horrível e você fica aqui fazendo graça!”

Epa, alto lá! Não estou fazendo graça, tô tentando tranquilizar 98% dos aflitos e deixando bem claro as situações que podem implicar em gravidade.

Os 2% cujos filhos já tiveram convulsões, precisam de duas coisas: um diálogo longo, franco e aberto com seu médico e tranquilidade no momento inevitável que seu filho estiver com febre. Em 60% das vezes, a crise será única, raramente recorrerá, e se isso acontecer, provavelmente no máximo uma segunda vez.

Como vocês já devem saber, o meu mantra é: mais conversa, menos pânico!!!


Receba seu ebook grátis

Receba grátis ebook do pediatra dr Flávio Melo com 27 textos sobre os temas mais atuais, como H1N1, Zika, Imunidade e alimentação. São 160 páginas de conhecimento sobre como cuidar bem de seus pequenos. Basta deixar seu e-mail e clicar em "Eu quero"

Dr Flávio Melo - pediatra

Sou médico pediatra há 11 anos, formado em Medicina pela Universidade Federal da Paraíba e Pediatria no Instituto de Medicina Integral Fernando Figueira (IMIP/Recife-PE). Enxergo que o futuro da prevenção na criança, passa por uma atuação nos hábitos familiares e estilo de vida, desde antes do casal engravidar.

41 comentários em “Socorro – meu filho pode ter convulsão febril?

  • 12 de julho de 2016 a 21:14
    Permalink

    DEPOIS DA CONVULSÃO FEBRIL EU FILHO DE DOIS ANOS FICOU ATÉ OS TRÊS ANOS COM UITOS ESPASMOS DO SONO, QUASE INCONTROLÁVEL!!!

    Responder
    • 18 de julho de 2016 a 12:10
      Permalink

      Seu pediatra precisa checar isso direitinho, quem sabe após a convulsão você ficou mais preocupada à noite e flagrou as chamadas mioclonias benignas do lactente, que não se relacionam com transtornos convulsivos.

      Responder
      • 25 de agosto de 2016 a 06:42
        Permalink

        Meu filho de 2 anos depois que teve convulsões febril. tem muitos eespasmos do sono isso e normal

        Responder
        • 25 de agosto de 2016 a 07:08
          Permalink

          Talvez não tenha relação nenhuma, existem mioclonias do sono que são benignas, mas nesse caso sempre é bom avaliar com o pediatra.

          Responder
  • 20 de setembro de 2016 a 12:04
    Permalink

    Minha filha de 2 anos já teve 10 convulsões febris. Tentamos gadernal mas não fez efeito. Tentamos somente o frisium durante período febril sem sucesso, tendo até 2 convulsões no mesmo dia, mesmo com estas medicações. Agora damos valpakine e frisium em período de febre, com sucesso. Eletro deu normal. Será que existe possibilidade de ela ter epilepsia por conta da quantidade de vezes que já deu convulsão?

    Responder
    • 21 de setembro de 2016 a 07:07
      Permalink

      Creio que seria melhor investigar à fundo, porque pela frequência e pelo alto número de convulsões, já consideraríamos um quadro complexo, que merece exames aprofundados com neuropediatra.

      Responder
  • 20 de setembro de 2016 a 12:06
    Permalink

    Me esqueci de dizer que ela teve inclusive convulsões no banho dado para baixar a febre por duas vezes, já com temperatura baixa (após baixar de 38 para 36 graus no banho). Obrigada!

    Responder
  • 29 de setembro de 2016 a 02:40
    Permalink

    Meu filho teve uma conculsão febril com tres anos e onze meses e outra agora com quatro anos e nove meses, a neuropediatra receitou um remedio que segundo ela provoca problemas no fígado. Será que há necessidade mesmo do uso deste remédio? Nome do medicamento é acido valproico.

    Responder
    • 29 de setembro de 2016 a 11:20
      Permalink

      Difícil opinar à distância. O ácido valpróico apenas deve ser monitorado com exames para os eventuais efeitos hepáticos, não significa que causará problemas. Em caso de dúvidas quanto à conduta, sempre procure uma segunda opinião.

      Responder
  • 30 de setembro de 2016 a 15:15
    Permalink

    Meu filho tem 10meses e deu pela primeira vez convulsão foi horrível pq não sabia de nada ,menino saudável ,só notei ele com a cabeça quente ,coloquei pra dormir mas não medir se estava com febre quando ele acordou foi com convulsão sai desesperada sem saber por o motivo levai ele pronto socorro mas antes disso ele estava retornando ,estava só com 38 grau de febre coisa que ele já teve mas alta do que isso é nunca deu .Passaram paracetanol e ficasse de olho nada de mas é disse que pulmão dele estáva um pouco frágil devido a situação é passaram amoxilina. Não conformada levei pra pediatra dele e explicou que não era grave e observasse qualquer coisa levasse ele pra ela ver e passou paracetanol, também não me conformei levei para urgência do hospital a qual pago plano , a doutora mandou fazer uns exames de sangue e urina e o raio X do pulmão, pronto fiquei até mas aliviada meu filho estava realmente fazendo exames necessário ,realmente deu TGPe TGO alto a doutora passou amoxilina durante dez dias .Mas como mãe fico preocupada pois deu febre mas baixa e ficou só monitorando,a doutora mandou procurar um neurologista sem ser a pediatra dele .Depois que ele tomar o remédio e peço pra repetir os exames ?,estou muito preocupada tento se acalmar diante disso não paro de pensar, o que faço depois ,neste mês que vem vou levar ele no pediatra dele e vou mostra os exames que ele fez com outro médico ,peço outro exames novos pra ver como esta o sistema dele?Quero parar de pensar em procurar pediatra doutor.Pois meu filho e um menino saudável que infelizmente veio acontecer isso .

    Responder
    • 30 de setembro de 2016 a 19:28
      Permalink

      Creio que seja mesmo necessário procurar um pediatra para conversar melhor com você e a tranquilizar, o que não posso fazer à distância. Não há necessidade de repetir exames antes da consulta.

      Responder
  • 17 de janeiro de 2017 a 11:27
    Permalink

    Bom dia Doutor, minha filha deu a primeira convulsao febril com um ano e cinco meses estava com 39.5 de febre..levei ela pro hospital lá só deram paracetamol a febrilha baixou pra 38 ela deu uma segunda convulsao o médico pediu um EEG fiz com um dia e meio do acontecimento o pediatra disse que o exame pode da erro por conta do curto espaço de tempo entre a convulsão e o exame, realmente deu EEG anormal pediu pra repetir o exame o que você acha?

    Responder
  • 31 de janeiro de 2017 a 01:39
    Permalink

    Oi meu filho já teve 5 episódio de convulsão com febre com intervalos de até 2 anos sem ter hj ele tem 4 anos estava dando o carbamazepina mais parei oq notei que ele tava mais agitado o sono e só inflamar a garganta começa a febre e não é toda vez que tem febre que ele dá convulsão não queria saber se a adenóide pode atrapalhar as crises

    Responder
    • 6 de setembro de 2017 a 13:24
      Permalink

      Dr. Eu tenho uma filha de 1 ano e 7mes ela deu uma convulsão com 1 ano e 4 mês um dia depois dela da a primeira ela deu de novo no mesmo horário a primeira vez que deu ela só estava com 37 graus quando chegou nos hospital ela já estava com 40 graus subiu muito rápido a temperatura dela ai antes do dr aplicar a medicação a temperatura dela caiu pra 37 de novo e ela já teve outra agora.
      O pediatra pediu o eletrocefalograma mas não deu nd tá td normal o pediatra disse que é por causa da febre e mim disse q eu tivesse cuidado até os dois anos pq não é perigoso até dois anos mas sim depois de dois anos

      Responder
  • 7 de fevereiro de 2017 a 17:51
    Permalink

    Meu filho teve uma convulsão febril com 2 anos e meio…Claro fiquei desesperada pois nunca tinha visto isso…E foi por uma infecção de garganta… Hoje ele com 4 anos sempre q tem uma febre fico assustada RS pois quando começa a ficar febril eu já dou o medicamento a partir do 37.3 pq a febre dele some muito rápido… Tanto q agora vai operar da garanta pq toma antibiótico de 2 em 2 meses e as febres altas é por conta da garanta… Espero q depois dá cirurgia td isso melhore…

    Responder
  • 26 de março de 2017 a 18:16
    Permalink

    Dr. obrigada pelos esclarecimentos. Eu realmente estou aterrorizada com a convulsão febril. Meu filho teve a primeira vez com 10 meses e depois (1 mes apos a primeira) com 11 meses. Levei ao hospital pq nunca tinha visto issona minha vida (tenho mais 2 filhos). O quw acontece com ele é que a febre sobemuito rapido. Ele fez exame de sangue, urina e raio x do pulmão: nao deu nada. os medicos disseram que era uma virose. Na segunda vez so fez exame urina q tb estava normal. Ele ainda nao tem dentes e a gengiva esta bem inchada. Estou dando Ibuprofen e tylenol alternadamente de 4/4h. Vi que estou fazendo errado, mas estou aflita em parar de dar a medicacao e ele convulsionar outra vez. o que o Dr. acha? Paro a medicacao ( ele mesmo medicado ja teve febre de 101.1 F. Estou em duvida quando parar de dar antitermico, o nascimento dos dentes pode estar relacionado a essa febre q nao cessa? Muito obrigada.

    Responder
    • 2 de abril de 2017 a 05:08
      Permalink

      A questão é que os anti térmicos não evitam a crise. É importante você reavaliar com o neuropediatra se não seria necessário o uso de uma medicação preventiva durante os episódios febris. Isso é uma das alternativas.

      Responder
  • 6 de abril de 2017 a 11:09
    Permalink

    Meu filho tem dois anos e dois meses, e já teve 4 convulsões febris…
    só teve convulsões com febre, e nunca teve nenhuma convulsão mais de uma vez no dia …
    Sempre a febre era por conta de alguma infecção…
    O pai dele já teve convulsões duas vezes quando era pequeno…
    Já levei no neuro e me indicou a fazer um eletroencefalograma, mas das 3 vezes ele não fez pq não dormiu rs… Vc poderia me dar uma orientação…Pq sinceramente eu sou essa alarmada que vc falou…Que nem durmo quando ele está com febre e nem deixo ninguém dormir…

    Responder
  • 26 de abril de 2017 a 12:57
    Permalink

    doutor minha filha teve a primeira convulsão febril com 2 anos e agora após 6 meses deu novamente mas isso ocorreu com febre de 38.6 estou preocupada ela fez exames e deram todos normais

    Responder
  • 1 de maio de 2017 a 22:57
    Permalink

    Meu filho tem 2 anos
    Teve 3 convulsoes febris e primeira com 1 ano e 3 meses apos tomar vacina a segunda com 1 ano e 10 meses e a terceira com 1 ano e 11 meses , a neuro passou gardenal para tomar uso continuo e a EEG deu normal sem Alteracao gostaria de saber se o procedimento esta correto e se meu filho pode comecar a ir para creche ou w melhor eu esperar pra ver a reaçao ao tratamento

    Responder
  • 10 de maio de 2017 a 12:47
    Permalink

    Ola Dr. Estou amando seu site. Ja tirei inúmeras dúvidas. Parabenizo-te!
    Minha filha teve convulsao febril com 1 ano e 10 dias. Não sei ao certo a temperatura, mas estava na casa dos 39 graus. Estava com infecçao na garganta e 4 dias depois apresentou manchas no corpo, a pediatra acha q tb estava com Roseola. Enfim….não tenho mais sossego. Vivo com medo de acontecer, pois eu tive por 3x entre meu primeiro e o segundo ano de vida.
    Ela pode ter novamente? Estou muito assustada. Não deixo ela nem tomar banho de piscina, nem brincar na areia….se pudesse, colocaria numa bolha…rs
    Chego até duvidar da competência do pediatra dela (sei que isso é horrivel), mas queria uma segunda opiniao.
    Desde ja, agradeço sua atençao.

    Responder
  • 10 de junho de 2017 a 08:01
    Permalink

    Simplesmente adorei as dicas citadas aqui, realmente a infertilidade é um grande problema que afeta muitas mulheres e acredito que com um bom tratamento nós podemos conseguir o tão sonhado filho ou filha. Adorei seu blog.

    Responder
  • 20 de junho de 2017 a 09:47
    Permalink

    Doutor meu bebe convulcionou com seis meses e tornou a convulsionar agora com um ano e cinco meses por causa das garganta .Marquei neurologia para daqui um mês,a pediatra disse que ia passar gardenal até ele passar na neuro, devo realmente dar.ele graças a Deus está otimo

    Responder
  • 20 de junho de 2017 a 09:53
    Permalink

    Obrigada doutor pelos esclarecimentos,estava meio neurótica já depois de uma convulsão da minha pequena.
    Esse post me ajudou muito!

    Responder
  • 25 de junho de 2017 a 23:08
    Permalink

    Doutor meu filho teve uma convulsão febril aos 8 meses idade, com 39 graus devido a um esantema subito na epoca, depois nunca mais deu mesmo dando febres, um dia ja no inicio de seus 5 anos ele deu febre de 37,8, enquanto eu fui buscar o remédio tranquila pq ele nunca mais havia tido episódio assim, ele deu uma convulsão que foi rápida e branda, nao Babou, nao virou olho mas errigeceu os músculos e depois dormiu por uns 5 minutos. Detalhe é que ele BA hora estava jogando em seu tablet o que naturalmente eleva sua temperatura consideravelmente porque ja percebi. Uma semana depois porque ele estava com infecção garganta que ainda o pedido nem tinha notado, ele deu novamente. Ele é notoriamente normal e até desenvolvido mentalmente por demais, excelentes notas na escola, falou, leu, andou com muita facilidade e perfeição, levei no neuro fez exame, td ok e a Neura nao quis passar nenhum controle pq segundo ela ele nao tem indicios nenhum para iniciar nenhum tratamento. Minha duvida dr. É a mesma do pediatra dele, pq ele veio a desencadear essa crise depois de tanto tempo? Eu penso que como ele emocionalmente eleva temperatura por causa de video games naquela tensão de nao errar e tal, isso fez a temperatura subir rápido demais ocasionando a crise o que fez o cérebro despertar uma frágil idade ao aumento minimo e rápido de temperatura. Mas queria ouvir conceito de especialista como vc. Obrigada, aguardo, pq depois dos 5 anos nunca mais tive paz nos mínimos 37.1 dele.

    Responder
  • 28 de junho de 2017 a 15:33
    Permalink

    Minha filha teve teve a primeira convulsão febril com nove meses ela teve duas convulsões no mesmo dia
    Depois teve uma outra já com um ano por conta da reação de uma vacina é quinze dias depois por conta de um resfriado muito forte com muito excesso de catarro nos peito peito e nem sempre a febre dela eh muito forte mais sempre teve febre nas vezes que teve a convulsão
    Fiz o eletrocefalograma e não deu nada
    Tenho muito medo quando ela gripa toma vacina ou até mesmo nasce os dentes
    O que fazer

    Responder
  • 14 de julho de 2017 a 05:01
    Permalink

    Boa noite Dr, meu bebê tem 9 meses, e no último domingo ( 08/07) deu uma convulsao febril, levei ao hospital lá não detectaram nada aparente e mandaram eu voltar pra casa, marquei pediatra e ele está com os dois ouvidos infeccionada, ou seja, a febre deu por conta disso certo? Qual o risco de acontecer novamente? Dando o remédio certo para controlar a febre diminui a chance certo?
    Obrigada pelos esclarecimentos, fico mais.aliviada!

    Responder
  • 12 de setembro de 2017 a 15:33
    Permalink

    Excelente texto, como todos que leio seus. Dr, meu bebê tem 6 meses, tem uma boa saúde (apesar de ter suspeita de APLV, e eu estar de dieta restritiva pois amamento) mas a mãe do meu esposo tem epilepsia desde os 14 anos.
    Existe algum exame diagnóstico para detectar algo precocemente? Moramos fora do Brasil e tenho muito medo de acontecer algo aqui e eu estar longe de todos.
    Muito obrigada (a pediatra sabe do histórico familiar e não recomendou nada).

    Responder
  • 1 de janeiro de 2018 a 17:38
    Permalink

    Doutor meu filho já deu 6 convulção por conta da garganta inflamada. A garganta dele fica direito inflamada. Oque eu faço. Ele está sendo acompanhado pelo neuro. Mais morro de medo quando ele dar convulção. Ele já deu 2 em um dia só. É já deu 1 convulção com 36 sem febre. Fico desesperada oque fazer

    Responder
  • 17 de janeiro de 2018 a 16:11
    Permalink

    Que esclarecedor esse post, sempre fico apreensiva quando as crianças estão com febre, não durmo com medo da febre aumentar e a criança ter convulsão,por isso é bom se informar, agora acredito que ficarei mais calma.

    Responder
  • 19 de fevereiro de 2018 a 23:21
    Permalink

    Dr meu filho tem 2 anos e sete meses, graças ao bom Deus nunca deu convulsão, mesmo com febre alta, pode acontecer ainda de dar convulsões em alguma situação de febre?

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *